• Cilene Ribeiro

PROCESSO CRIATIVO

Começamos o processo desse semestre com aulas teóricas, a princípio estudamos Antonin Artaud na luta contra o teatro do seu tempo, rejeitando a supremacia da palavra e expondo o corpo como lugar principal no teatro, posteriormente pesquisamos sobre Grotowski, e sua busca pelo teatro "pobre".

Em seguida fizemos laboratórios voltado aos quatro elementos (água,terra, fogo e ar) com aulas extremamente cansativas, a cada elemento que íamos estudando, o corpo reagia de diversas formas, nas aulas práticas saber reconhecer e respeitar os limites do seu corpo é muito importante, o corpo para os atores é um instrumento de trabalho, que deve e pode ser usado em pró da arte. Depois dessas etapas demos seguimento ao nosso processo, dessa vez estudamos os primórdios dos deuses gregos, com pesquisas relacionadas aos titãs(que na mitologia grega eram os ancestrais dos futuros deuses) pesquisar sobre os titãs e seus feitos e depois construir um altar simbolizando cada um deles, foi uma das partes que na minha opinião estimulou bastante a nossa criatividade.

cada altar construído por um aluno representando um titã.

O processo como um todo é cansativo (especialmente no início), abrimos mão de sábados e domingos para ensaia, criar, aprender e revisar. É um acúmulo de conhecimentos teóricos e práticos que vamos utilizar para toda a vida, ele exige do ator o intelectual, emocional e o físico.

Foto da primeira avaliação e finalização da primeira etapa do nosso semestre

A segunda etapa do semestre foi a montagem da mostra final,o texto escolhido pelo professor foi "As troianas", uma obra do escritor Eurípides, que retrata o fim da guerra de Tróia, para a montagem da mostra final recebemos uma ajuda extra dos nossos colegas de outras turmas, Léo Santos (turma de contemporâneo), e Andressa Passos (que já concluiu o curso), eles nos ajudaram compondo todas as músicas que cantamos na mostra.

Na peça contamos o sofrimento das troianas que após a guerra aguardam o momento em que serão levadas nas embarcações gregas. O processo cênico retrata o perdão das mulheres e o amor à terra sagrada,a ação se passa em Tróia. A Guerra de Troia aconteceu quando os gregos atacaram a cidade de Troia, buscando vingar o rapto de Helena, esposa do rei de Esparta, Menelau.

Em cena temos Hécuba (nossa colega de turma Monica) viúva do rei Priámo devastada pelo sofrimento,aparecem também os personagens Poseidon Deus do mar (Alexandre), e a deusa Atena (Daniele Ribeiro), a sedutora Helena (Clara), que para Hécuba e as mulheres troianas foi a causa de toda a guerra e destruição,em contrapartida para Taltibio (Robério)e para o rei Menelau (Murilo), não foi uma mulher a causa de toda a guerra e sim, Paris, (filho de Hécuba e do rei de Troia), que em missão diplomática a Grécia conheceu e se apaixonou por Helena,levando-a para Troia, despertando a fúria dos gregos, e colocando em risco a vida de todos na cidade,ao fim da guerra entre as cativas estão Cassandra (Camila) filha de Hécuba, profetisa e sacerdotisa de Apolo,Andrômaca(Cilene),viúva de Heitor e mãe de Astiânax, e todas as troianas sobreviventes até o momento (Daniele Gaspar,Maria Luiza,Daniela Moureira).

A peça busca estabelecer uma relação entre o Teatro Artaudiano com a Tragédia Grega estabelecendo um jogo corporal e vocal.






29 visualizações