• Murilo Lima

Como Eu Vejo Os Quatro Elementos



Os quatro elementos são de conhecimento geral, conhecem eles e interagem com os mesmos no seu cotidiano, porém esses elementos possuem diversas interpretações e significados, sendo assim aqui vão minhas interpretações acerca dos quatro elementos:


  • Água: Água é fluida, moldável, mutável e feroz. Ela é vida para quem está sedento e morte para os náufragos, traz consigo um sentimento de fluxo, seguir um ritmo, um caminho, é um elemento que muda de estado, logo é um elemento de transição, mas em seu estado natural é sem consistência e forma definida, assumindo o formato do recipiente onde é colocado, tal qual uma pessoa que segue uma tendência para não se sentir excluída, é um elemento quase sem personalidade.


  • Terra: A terra por sua vez é rigidez, estabilidade, força. Um elemento que pode representar, tanto consistência, quanto inercia. Traz consigo um sentimento de tranquilidade, é um elemento paciente, porem quando se estremece se trona brutal. A terra é imponente, mas indiferente. Ela é ao mesmo tempo calma e rígida. É um elemento que pode ser interpretado tanto como força e sabedoria, ou passividade, lentidão e pesar.


  • Fogo: Este elemento é feroz, consome tudo pelo seu caminho, porém sem combustível ele se esvai. Uma força destrutiva e incontrolável ou uma ferramenta de sobrevivência? Ele é tanto destruição como renovação, mas não é um elemento perene, o fogo representa intensidade e finitude, arde fervorosamente em quanto tem o que consumir, então se esvai por completo. É uma perfeita representação da intensidade da vida e do furor juvenil.


  • Ar: Liberdade, não palavra melhor para definir esse elemento, ar é livre, pode ser tanto uma suave brisa como um impiedoso tufão. Ele traz a ideia de calma e ferocidade, suavidade e velocidade, é um elemento eclético. O ar é o elemento dos sonhadores, daqueles que olham que pela janela e pensam em voar, se transformar em ar é como se transformar em nada, ele está em toda a parte e mesmo assim é tão comum que se tronou quase imperceptível. o que é muitas coisas as vezes acaba se tornando nada. É um elemento de liberdade e leveza, porém disperso e sem personalidade definhada.

0 visualização