• Clara Costa

O Samurai

O exercício do Samurai trabalha simultaneamente diversas competências do ator. A prontidão, a consciência corporal e espacial, a disciplina e o foco são algumas delas.

O exercício consiste em uma série de ações precisas, efetuadas com um pau de vassoura (espada) que demandam precisão e atenção na execução.


Eu, particularmente tive dificuldade em ficar de costas para meus colegas “armados” evidenciando assim meu problema de confiança. Porém me acostumei e não deixei que isto me atrapalhasse. Sem contar com minha dificuldade no que tange coordenação motora. A locomoção com a troca de pernas em formato de V deu um nó na minha cabeça. Mas depois que eu entendi e visualizei, continuei o exercício sem maiores preocupações.


Enquanto metade do corpo (parte direita) executa os movimentos, a outra parte (esquerda) sempre tem de estar acordada. Durante o exercício, o instrutor repetia por diversas vezes: “Olha a mão! Olha a mão!”, pois tendemos a “esquecer” e “morrer” a parte que não está em movimento direto. Nos trazendo uma percepção e atenção para com todo o corpo e não apenas a parte em trabalho direto. Afinal, todo o corpo tem de estar acordado, atento e ativo.


Desta forma, trabalhando sempre o tônus muscular do ator. Além do foco do ator da comédia. Pois ao mesmo tempo em que estamos executando as ações com a espada, em momento algum a olhamos. O foco é sempre em um ponto fixo em nosso nível do olhar.


É um exercício que visto por fora parece simples, mas demanda muito do ator. Mas, com a prática, os movimentos acabam ficando mais orgânicos e conscientes.  



14 visualizações