• Centro Cultural Ensaio

A frente do seu tempo

Atualizado: 21 de Dez de 2018

O que busca estar a frente do seu tempo, subvertendo a cultura, os costumes, e a maneira de pensar da sociedade, aquilo que inova na expressão artística, expressando um sentimento de liberdade criativa. Assim, eu descrevo vanguarda!


Começamos nossa coletânea de material com bate papo sobre vanguardas europeias. “A visão sobre o campo grande” foi a aula na rua onde foram feitas observações e anotações sobre o cotidiano com o intuito de causar reflexão sobre o local observado, as questões sociais que mais ganharam destaque depois desse exercício foram: a poluição da cidade, acessibilidade, inclusão social e manifestações políticas. Posterior a isso fomos apresentados a um dos trabalhos(um filme) do diretor e roteirista italiano Paolo Sorrentino, dentre todas as pesquisas e junção de materiais coletados\produzidos ao longo da primeira etapa, escrevemos textos sobre temas diversos, segue abaixo um parágrafo do meu texto, junto com minha analise do filme “Juventude” do Paollo Sorrentino.


Cilene Ribeiro – A função do artista e analise do filme Juventude


Os artistas são pessoas que buscam despertar sensações e emoções nos demais, moldando a realidade da sua época de diversas maneiras e diferentes pontos de vista. As palavras, cores, versos, melodias e ritmos compõe a estética, que como área filosófica que é voltada para contemplação da beleza sensível, ganha importância nos variados estilos de manifestações artísticas. O interessante do teatro é a possibilidade de vivenciar de certa forma, várias vidas em uma só, nascer e renascer a cada novo personagem. Sobre o filme, é interessante como o autor usou sutilmente a metalinguagem sem que pareça ser confuso, sem contar que a produção traz reflexões úteis sobre passagem do tempo, amizade e recomeço.


A teoria na prática


Inicialmente estudamos sobre o teórico alemão Bertolt Brecht, o texto escolhido foi “aquele que diz sim, aquele que diz não”, estudamos e pesquisamos também sobre o teatro épico. Segue a baixo um resumo de como tudo isso foi aplicado na prática.


· Modelo de ação(seleção de ato social – pretexto), na prática nosso modelo de ação foi o exercício “visão sobre o campo grande”, onde fomos para a rua observar o cotidiano a nossa volta e depois criamos cenas baseadas no que foi observado.


· Modelo para a ação(seleção de um ato jornalístico, teatral...), na pratica nosso modelo para a ação, foi a aula em que analisamos a revista “caros amigos” (que não está mais em circulação), analisamos a revista e separamos os conteúdos que mais chamaram nossa atenção. Um dos conteúdos que mais chamou minha atenção foi uma entrevista com o Frei Betto ( um dos presos políticos na época da ditadura militar brasileira). Depois de separado os conteúdos debatemos sobre os temas escolhidos, e vemos a possibilidade de como aborda-los no seminário.


Ao final dessa primeira etapa, era preciso decidir o que iríamos apresentar, então decidimos apresentar uma cena do texto “aquele que diz sim,aquele que diz não”, junto com uma cena do texto “Em alto mar”. Os dois textos fazem referência a maioria dos temas debatidos em sala, e foi uma das maneiras que encontramos de compartilhar um pouco do nosso processo com os demais.


Dos textos debatidos em sala que não foram encaixados no seminário temos o texto “Seria a lata uma obra de arte?” de Luiz Marfuz (doutor em arte cênica pela UFBA). O texto foi publicado em 1994, e traz a reflexão, sobre o que é, e o que pode ser considerado arte. Para você, o que pode ser considerado arte?


Escrito por: Cilene Ribeiro,em dezembro de 2018.



0 visualização